|Sobre a Kaza(about)|

Natureza: coletivo aberto de artistas
Nascimento: dezembro de 2005
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais
Correio eletrônico: kazavazia@gmail.com
Referências: kazavazia.blogspot.com | ruadonaleonidialeite68.blogspot.com | kazavazia8.blogspot.com | kazavazia613.blogspot.com | kazavaziax.blogspot.com | kazavazia11.blogspot.com


O Kaza Vazia é um coletivo que atua a partir da ocupação temporária de espaços aleatórios da cidade. Ele não tem uma sede, uma galeria, ou um galpão, nem nunca conseguiu manter um ponto de encontro duradouro que virasse referência. Na verdade, seu processo de criação compreende a itinerância, ou seja, mudanças constantes.
Os projetos do Kaza Vazia são sempre ocupações temporárias que objetivam criar um centro de referência para a incorporação das dinâmicas locais em projetos artísticos. Dentre os espaços escolhidos para ocupação, podem ser citados: casarões abandonados (kv I, II e V), lojas comerciais (kv III), conjuntos habitacionais (kv IV), vias públicas (kv VI) parques públicos, mercados municipais (kv VII), casarões já ocupados (kv 8), apartamentos particulares (kv 613) e assentamentos ilegais de famílias (kv X). Esses lugares, por um determinado tempo, convivem com um grupo de freqüentadores/artistas/residentes diferente.
Por meio de reuniões periódicas, o grupo de artistas passa a reconhecer e explorar o local. Um descobre uma coisa, o outro complementa com outra idéia. Assim, se começa a firmar as bases da Kaza. Usa-se os materiais disponíveis no local para tentar sustentar o peso de um telhado de idéias e possibilidades de ação que é formado pela contribuição de cada individuo.
Por se identificar como um grupo aberto, a Kaza Vazia, a cada edição, sempre conta com um grupo de artistas diferente. Moradores vêm e vão, a cada ocupação, garantindo um arejamento de propostas de ação, modos de construir e relacionar com o seu entorno. Portanto, os modelos de ocupação nunca são os mesmos. Nesse sentido, é difícil definir uma natureza específica da Kaza, que não a de itinerância, um movimento constante e de ser constituída por elementos mutáveis a serem rearranjados a cada levantamento e assentamento. Da mesma forma, os motivos por quais ela surgiu, não são os mesmos que alimentam a lenha do seu fogão hoje. 
A primeira Kaza foi construída, em dezembro de 2005, em um casarão abandonado, ao lado do tradicional Museu de Arte da Pampulha, por artistas que aspiravam por um espaço alternativo e independente de atuação, livre de processos excludentes de seleção e regras colocadas por profissionais externos ao processo artístico. A partir de então, o grupo passa a mapear casarões abandonados da cidade, apropriando de espaços privados e incorporando-os, temporariamente, ao domínio público. Inicia-se o fomento de um circuito alternativo e independete, livre de normas institucionais, mas que se delineia nos limites da falta de recursos financeiros, na falta de água encanada ou instalação elétrica. Todavia, a proposta é fazer da necessidade uma virtude.
Coletivo voltado para questões das linhas que separam o público e o privado, o bonito e o feio, o útil e o abandonado, o instituído e o a criar, a Kaza Vazia procura tensionar as formas de ocupar e desenhar a cidade. Vive por estabelecer as relações inusitadas entre lugar, as práticas e os usos habituais de seus usuários, por meio de projetos em arte.  
Ao circuito de arte de Belo Horizonte, restam os desvios e resta ser redesenhado. Num trabalho de criar sempre novas conectividades para seus trabalhos poéticos, os artistas envolvidos acabam colocando um novo traçado para o circuito da arte, convidando artistas, curadores, estudiosos, apreciadores, transeuntes, crianças, vagabundos e desavisados a passarem por aqui.
- baseado no texto “Kaza Vazia – galeria de arte itinerante”,
de Tales Bedeschi, publicado no livro ‘Espaços Independentes’.

Nature: open collective of artists
Born: December 2005
Location: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
E-mail: kazavazia@gmail.com
References: kazavazia.blogspot.com | ruadonaleonidialeite68.blogspot.com | kazavazia8.blogspot.com | kazavazia613.blogspot.com | kazavaziax.blogspot.com | kazavazia11.blogspot.com


Kaza Vazia (Empty Houze) is an art collective that operates in temporary occupation of different spaces of the city. It hasn’t a thirst, a gallery, or a shed, and never could to manage a meeting place that turned a reference of itself. In fact, creative process of Kaza Vazia includes roaming, it means, constant changes.

The Kaza Vazia ‘s projects are always temporary occupations that aim to create a reference center for the incorporation of local dynamics in artistic projects. Among the areas chosen for occupation, may be cited: abandoned mansions (kv I, II and V), shops (kv III), housing (kv IV), streets (kv VI), public parks, municipal markets (kv VII ), houses already occupied (kv 8), private apartments (613 kv) and illegal settlements of families without home (kv X). These places, for a while, start to living with a different group of regulars / artists / residents.

Through regular meetings, the group of artists comes to recognize and explore the site. One discovers a thing, the other complements with another idea. So, it begins to establish the foundations of Kaza. It uses the materials available on site to try to support the weight of a roof of ideas and possibilities for action that is formed by the contribution of each artist.

By identifying themselves as an open group, Kaza Vazia always has a different group of artists, in every occupation. Residents come and go, ensuring an airing (changing) of proposals for action, and ways to build relationships with your surroundings. Therefore, the models of occupation are never the same. So, it is difficult to define a specific nature of Kaza Vazia, than roaming, a constant motion and a nature of changeable elements to be rearranged every settlement. Likewise, the reasons for which it emerged, are not the same that feed the wood of your stove today.

The first Kaza Vazia was built in December 2005 in an abandoned mansion, alongside the traditional Museu de Arte da Pampulha (Pampulha Museum of Art), by artists who aspired for an alternative and independent space for art, free of the selection processes and without rules placed by professionals external to the artistic process. Since then, the group starts to map the city's abandoned houses, appropriating private spaces and incorporating them temporarily to the public domain. It begins the development of an alternative and independent circuit, free of institutional rules, but delineated by the limits of the lack of financial resources, lack of indoor plumbing or wiring. However, the proposal is to transform the necessity in a virtue.

Kaza Vazia is an art collective facing to the issues of the lines between public and private, beautiful and ugly, useful and abandoned, which is institutionalized and which is to be created. It uses to put in tension ways to live, to build and draw the city. It lives for establishing new relations between unusual place, the customary practices and usages of its users, through projects in art.


- Based on the text "Kaza Vazia - roving art gallery"
of Tales Bedeschi, published in the book
"Espaços Indenpendentes" ('Independent Spaces').

RUA LEONÍDIA LEITE, Nº 68, BAIRRO FLORESTA

Kazeiros reunidos para uma possivel ocupação, 02 de maio de 2007

Casa Desocupada - Pouso Alegre 404,Floresta - Belo Horizonte / Brasil